Publicidade


Notícias de Última Hora

Geddel tem a garra necessária para defender a Bahia e o Brasil no Senado da República

A vontade de mudar a Bahia é grande e isso ficou muito claro na convenção estadual da chapa majoritária da oposição realizada nesta quarta-feira (18), em Salvador, no Unique Eventos. A coligação Unidos por uma Bahia Melhor, que reúne PMDB, DEM e PSDB, foi aclamada por milhares de pessoas durante o evento que homologou as candidaturas das eleições majoritárias e proporcionais, com a participação dos delegados municipais, membros do diretório estadual e deputados, que votaram para definir a chapa e as coligações.

Os pré-candidatos Geddel Vieira Lima (PMDB), ao Senado da República, Paulo Souto (DEM), ao Governo do Estado, e Joaci Góes (PSDB), a Vice, chegaram juntos com o prefeito de Salvador, ACM Neto, acompanhados por diversas lideranças políticas, entre vereadores, deputados estaduais, federais, correligionários e militantes.


A chapa conta com o apoio de diversos partidos que se juntaram à oposição para construir um novo projeto para a Bahia. PMDB, DEM e PSDB contaram com a adesão de partidos como o PRP, PPS, PT do B e PSDC, SDD, PTN, PROS e PTC. E ainda o PV, PHS, PEN, PMN e PPL, que faltam apenas realizar suas convenções para protocolar o apoio já garantido. A possibilidade de novos partidos se integrarem até o final do mês à frente oposicionista não é pequena. Mas, por enquanto, são 16 os partidos que estão juntos com a chapa da oposição.

O peemedebista Geddel Vieira Lima começou seu discurso falando da sua profunda gratidão com cada um dos partidos e pessoas que deixaram seus municípios e afazeres para levar o seu apoio à chapa. "E mais do que trazer apoio, vieram depositar sobre nós seus sonhos, sua fé e a esperança no futuro", completou. Ressaltando que ao longo da sua vida sempre foi conduzido pela emoção, continuou. "Tenho a alma absolutamente inquieta, de alguém que sempre acreditou na força da política como instrumento de transformação", declarou, se dizendo convicto de que na eleição de 5 de outubro será o hora do povo escolher o que quer para seus filhos e filhos de seus filhos.

Sobre as eleições de 2006, Geddel afirmou que Paulo Souto não perdeu por falta de gestão, mas por política. "Quem ganhou não foi Jaques Wagner, foi Lula, com todo o potencial de esperança que ele trazia imbuído naquele momento. Oito anos se passaram e a Bahia quer de novo mudança e vamos vencer essa eleição com uma vantagem importante para a Bahia. E essa mudança será executada por quem tem história. Tenho dito com tranquilidade que Paulo Souto será um grande governador pra nossa terra. Ele está absolutamente pronto pra compartilhar com cada um de nós o mesmo sentimento", avaliou.

O presidente do PMDB da Bahia também falou sobre as disparidades entre a realidade que o povo baiano vive e as propagandas do governo na tv e no rádio. "Não adianta esse 'lero, lero', não é isso o que a gente está sentindo na pele. A realidade da Bahia de hoje tem números, do próprio governo, como 37 mil baianos assassinados nesses últimos sete anos e meio, explosão de 110 caixas eletrônicos, aumento de assaltos a carros que deixam as pessoas no trânsito com uma descarga de adrenalina insuportável reagindo a qualquer movimento. Não é essa a Bahia que queremos. Paulo Souto pode mudar essa realidade e construir um futuro melhor para a Bahia. Pode restabelecer a disciplina e a hierarquia da tropa policial, que precisa ser bem tratada e prestigiada. Pode construir hospitais regionais, firmar parceria com prefeitos para tirar as creches do papel e dar educação formal e lição de cidadania para as crianças. Pode recuperar as redes físicas das escolas e devolver à Bahia a fé no futuro. Paulo Souto conhece e sabe que nosso estado tem dois terços do território no semiárido, onde as pessoas estão vivendo sem água e sem esperança", disse o postulante a senador, lembrando que o atual governo não construiu nenhuma barragem e destruiu projetos importantes que o ex-governador democrata deixou prontos, como o "Cabra Forte".

Geddel também emocionou o público ao dizer que está chegando a hora da Bahia retomar seu destino. "Não precisei passar fome para saber que a fome precisa ser combatida. Não precisei nascer numa encosta para saber que elas precisam de contenção. Não precisei de hospitais públicos para saber que a saúde precisa de atenção. Não precisei conversar com Deus para saber que ele existe. Vamos devolver a essa terra um governo capaz, responsável e competente. Vamos tomar nas mãos e nas urnas o destino da Bahia. Vamos eleger Paulo Souto e no Senado serei a voz da Bahia. Pela força do meu temperamento, vou lutar com coragem pelos interesses da Bahia e da sociedade brasileira, fazendo votar a reforma do Código Penal e a reforma tributária que não sai do papel. Reafirmo meu compromisso de trabalhar com espírito público a favor da Bahia".

O líder do PMDB baiano também criticou o candidato "laranja" do PT e o dinheiro público que está sendo jogado fora quando prefeitos são chantageados por meio de convênios que depois ficarão com as contas penduradas no Tribunal de Contas. Disse ainda que não se constrói líderes escolhendo "postes" e estamos assistindo à inflação voltar. "Não há crescimento. É a hora da democracia, de mudança de governo. Contamos com os companheiros nessa jornada, deputados estaduais e federais, para termos apoio na Câmara e na Assembleia Legislativa. É nossa responsabilidade mudar a Bahia", concluiu.

Paulo Souto reforçou junto ao público que Geddel será senador para lutar pela Bahia, defendendo seus interesses. E, mais uma vez, disse que as pessoas que estão no governo estão com validade vencida. "A Bahia quer um novo caminho, nos unimos para construir uma nova estrada, um futuro que todos queremos. Quando o povo quer, não adianta mentir, a vontade do povo vale mais do que ameaça de partido que quer ser dono da Bahia. As pessoas querem voltar a confiar novamente em seus governantes. Esse governo promete e não entrega, não tem compromisso com nossa gente. Nosso estado vem perdendo o protagonismo no Nordeste. Passou da sexta para a oitava economia brasileira. Esse é um governo que gasta mal. Que fracassou inteiramente nos serviços públicos essenciais para a população. É um governo que intoxica a população com uma propaganda farta e enganadora", desabafou, pedindo uma solução única no próximo 5 de outubro.

Joaci Góes, que defende a bandeira da educação no plano de governo da chapa, afirmou que é preciso que a Bahia recobre o tempo perdido elegendo Geddel e Paulo Souto. E o prefeito ACM Neto, disse receber a todos de coração aberto em torno de uma causa que uniu pessoas que amam a Bahia de verdade.

"Trazemos uma mensagem de mudança, de esperança para o povo, que não se deixou intimidar. Quero conclamar os baianos dos 416 municípios do interior do Estado a fazerem o mesmo que os de Salvador fizeram dois anos atrás. Enfrentar os poderosos, a máquina e o dinheiro que vai surgir, assim como os discursos intimidatórios. Queremos ver a Bahia voltar a crescer e a liderar o nordeste brasileiro. Paulo tem experiência e capacidade de gestão. Tem ideias novas, como as que trouxe para ajudar a governar Salvador. Tem ao seu lado Joaci, um constituinte respeitável, que prioriza a educação pública de qualidade. E a Bahia precisa de um senador como Geddel, um cara retado, em Brasília. Como teve ACM. E o que os aproxima é a garra, não ter medo de ir pra frente, de colocar a Bahia em primeiro lugar. Geddel vai poder trazer mais recursos, garantir investimentos e obras importantes pra nossa cidade e para nosso Estado. O nordeste vai ajudar o Brasil a construir um novo momento na sua história, o futuro do país passa pela Bahia e por Salvador, finalizou Neto.

Assessoria de Imprensa do PMDB da Bahia

Acompanhe o Rodrygo Ferraz também pelo Twitter™ e pelo Facebook.
Geddel tem a garra necessária para defender a Bahia e o Brasil no Senado da República Geddel tem a garra necessária para defender a Bahia e o Brasil no Senado da República Reviewed by Rodrygo Ferraz on 6/19/2014 Rating: 5