RodrygoFerraz.com.br
Início » , » As reviravoltas na política de Sítio do Quinto-BA

As reviravoltas na política de Sítio do Quinto-BA

Publicado por Rodrygo Ferraz em quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Mesmo havendo terminado o período eleitoral a política em Sítio do Quinto continua quente, e nos últimos dias tivemos vários acontecimento que agitaram o meio político no município, tudo começou com o afastamento (no dia 25/10) do prefeito municipal de suas funções, já na última segunda-feira (31/10), durante tumultuada sessão na Câmara Municipal, foi grande a pressão popular para que o presidente Rodrigo de Gilson assumisse a prefeitura do município, no dia seguinte – terça-feira – foi um grande corre-corre para entregar as prestações de contas dos candidatos, eleitos ou não, que concorreram na eleição de outubro deste ano, e hoje (02/11) tivemos a publicação de um esclarecimento público da Câmara Municipal sobre a confusão que se formou com o afastamento do prefeito Cleigivaldo Santa Rosa.

Vou detalhar ponto por ponto para melhor compreensão dos fatos.

O afastamento do prefeito foi motivado por uma Ação Civil Pública apresentada pelo promotor Dr. Carlos Augusto Machado de Brito, e acatado pelo Juiz Doutor Paulo Eduardo de Menezes Moreira, embasado em pedido do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, e referente aos constantes atrasos salariais da categoria.

Ocorre que o afastamento do prefeito veio acompanhado de um bloqueio total das contas da prefeitura municipal, e isto acabou ocasionando a paralisação de vários serviços públicos que são prestados aos cidadãos sitioquintenses.

Entretanto, a medida judicial que acabou atendendo aos anseios e reivindicações da categoria, não teve o efeito mais desejado por todos: o recebimento dos salários atrasados, e mesmo o sindicato tendo deliberado a favor do encerramento da greve e a imediata volta às aulas, isto não se efetivou totalmente, devido a prefeitura estar agora sem um mandatário que tome as medidas necessárias para a normalização da situação e, principalmente, pela dificuldade no pagamento dos serviços de transporte e a compra de produtos para a merenda escolar, problema ocasionado pelo bloqueio das contas da prefeitura.

Tudo isso me fez lembrar de um ditado muito popular: o limite entre o remédio e o veneno é apenas a dosagem.

Ainda sobre este fato tomamos conhecimento que o próprio prefeito Cleigivaldo Santa Rosa dirigiu-se ao Fórum de Jeremoabo – não aguardou ser intimado pelo Oficial de Justiça – para tomar ciência do inteiro teor do processo, na busca da defesa de seus interesses políticos e pessoais, portanto, vamos aguardar os desdobramentos que virão nos próximos dias.

Em relação às sessões da Câmara Municipal, as mesmas têm sido muito concorridas e com expressiva presença de público ultimamente, sobretudo com a grande presença de funcionários da educação, que ali se dirigiam em busca de uma solução para o problema do pagamento de seus salários.

Só que na sessão do dia trinta e um de setembro houve um ingrediente a mais nas discussões: o problema da vacância no cargo de prefeito municipal, até onde pudemos apurar a confusão se formou devido ao receio do vice prefeito – Jair dos Correios – em assumir o cargo e nas próximas eleições ter problemas para se candidatar a uma reeleição (sim, ele já está pensando nisso), ou seja, ele teme que os problemas que hoje atingem a administração municipal “colem” nele, e que caso as contas da prefeitura sejam no futuro rejeitadas ele se torne inelegível.

Com este pensamento em mente o vice prefeito estava fugindo do Oficial de Justiça igualmente ao diabo que foge da cruz, evitando ser notificado para que assumisse a prefeitura, e estava logrando êxito neste seu intento . . . até que compareceu nesta terça-feira no Cartório Eleitoral em Jeremoabo, onde acabou sendo surpreendido e finalmente intimado a cumprir com sua obrigação constitucional.

Mas, antes disso e ainda na sessão da Câmara Municipal de segunda-feira, o clima continuava tenso e quente com a presença de vários populares que pediam ao presidente – Rodrigo de Gilson – para que assumisse a prefeitura municipal e colocasse fim a esta triste situação por que passa o município de Sítio do Quinto.

Na ocasião o presidente esclareceu aos presentes que as coisas não funcionam desta maneira, que ele não podia simplesmente se colocar à disposição e assumir a prefeitura, e que legalmente o segundo na linha sucessória é o vice prefeito, e que cabe a este a responsabilidade e a obrigatoriedade de cumprir com o papel para o qual foi eleito em parceria com o atual prefeito.

Ao final de toda a discussão os presentes acabaram aceitando os argumentos da presidência da casa, e tudo indicava que a sessão se encerraria sem maiores surpresas, mas eis que no apagar das luzes um emissário do vice prefeito – que esteve presente naquela sessão, só que não se pronunciou em momento algum –, encaminhou à mesa da câmara um documento atestando que Jair dos Santos enfrenta problemas de saúde e, assim sendo, pedia o afastamento de suas funções de vice prefeito, não podendo assumir a prefeitura nos próximos quinze dias, prazo estipulado no atestado médico apresentado.

E, assim parecia que iria continuar a brincadeira de esconde-esconde e de esta “bucha” eu não pego . . . até que o presidente da Câmara Municipal se dirigiu até o Fórum de Jeremoabo, para uma audiência com o Juiz Doutor Paulo Eduardo de Menezes Moreira.

Só que neste ínterim quero antes informar aos meus queridos eleitores, sobre mais uma polêmica que envolve o mundo político (e seus atores) em Sítio do Quinto, para quem não sabe no dia primeiro de novembro se encerrava o prazo para que os candidatos, eleitos ou não, apresentassem suas prestações de contas de campanha junto à Justiça Eleitoral, e como não poderia deixar de ser muita gente deixou tudo para o último dia do prazo, ocasionando um verdadeiro congestionamento no Cartório Eleitoral de Jeremoabo.

E durante todo o dia houve muito político de Sítio do Quinto transitando entre a Caixa Econômica Federal, banco onde muitos candidatos tinham suas contas de campanha, e o Cartório Eleitoral, para onde se dirigiam com o intuito de entregar a papelada que comprova a regularidade fiscal e financeira de suas campanhas.

Porém, havia um comentário no ar de que certa conta de campanha, de uma chapa que disputou o cargo majoritário no município, ainda corre o risco de ser rejeitada e reprovada pela Justiça Eleitoral, e caso isto realmente aconteça haverá, futuramente, um impedimento para que esta dupla obtenha a Certidão de Quitação Eleitoral, condição necessária e exigida para que qualquer candidato possa disputar uma eleição.

Ao procurar me inteirar melhor do fato para poder informar meus eleitores, acabei obtendo uma informação diretamente no Cartório Eleitoral, de que existe um ofício endereçado ao Juiz Eleitoral, em que é solicitado ao magistrado para que seja dado especial atenção na prestação de contas destes candidatos, principalmente, sobre um compromisso financeiro de campanha que assumido e não cumprido, entretanto, o solicitante pede que o mesmo seja declarado e reconhecido na prestação de contas, e não o sendo feito que as contas sejam reprovadas e rejeitadas por omissão da parte dos candidatos.

Vamos aguardar pelos novos desdobramentos de mais esta polêmica envolvendo políticos de nossa cidade.

E para finalizar vou fazer um breve comentário sobre a postagem do presidente da Câmara Municipal de Sítio do Quinto – Rodrigo de Gilson –, onde o mesmo dá um belo exemplo de como se deve portar um homem público que se preocupa com sua cidade e seus eleitores, a mesma pode ser lida clicando no link a seguir: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010216638386&fref=ts.
Pela leitura que fiz do texto percebi que a intenção do presidente foi muito além de informar a população, sobre toda a polêmica que se instalou no município depois do afastamento do prefeito, pude sentir também que ele procurou alertar aos políticos sobre suas responsabilidades perante a municipalidade e a população sitioquintense, para que os mesmos estejam à altura dos homens públicos que esta cidade merece e precisa, principalmente neste momento tumultuado por que passa nosso município.

Entendi, ao contrário de alguns comentários que foram feitos na postagem, que não houve um juízo de valores referente a postura do vice – quando receia assumir a prefeitura –, o texto simplesmente deixa claro e explicita como é o rito de assunção ao cargo e, ainda, a linha sucessória que deve ser seguida de acordo com a lei.

Mas o que mais me incomodou foi o comentário do Juiz de Direito, quando afirma que nossos homens públicos brigam tanto para chegar ao poder, e em certos momentos fogem das responsabilidades inerentes ao cargo e para o qual foram eleitos.

Resumindo as últimas – aqui discutidas – da política municipal:

O prefeito Cleigivaldo Santa Rosa, melancolicamente, entra no seu ocaso como político, e acaba deixando a prefeitura antes mesmo do prazo para que foi eleito.

Sítio do Quinto ainda se ressente de políticos com P maiúsculo, e com coragem para assumir suas responsabilidades, quiçá para fazer as mudanças que o município precisa.

Certos políticos não merecem mesmo nenhuma confiança, assumem compromissos e não os honram, se esquecem que outras disputas virão, e que irão precisar novamente de apoio para suas disputas.

E, diante de tantas notícias ruins na política temos um ponto divergente: um jovem político acaba se destacando a assumindo o protagonismo político no município, seria esta uma grande promessa para o futuro de Sítio do Quinto?

Blog do Carlino Souza

Acompanhe o Rodrygo Ferraz também pelo InstagramTwitter™ e pelo Facebook 
Compartilhe este artigo :

Horóscopo

Siga-me no instagram

Visitantes onlines

Publicidade


As mais acessadas