Publicidade


Notícias de Última Hora

Enfermeiros Concursados sofrem perseguição política em Adustina/BA


NOTA DE MANIFESTAÇÃO 

Com referência a nota divulgada pela Secretaria de Saúde do Município de Adustina, em respeito à população Adustinense e demais autoridades que representam a cidade, nós Enfermeiros Concursados do município vimos através desta prestar esclarecimentos sobre algumas informações citadas de forma equivocadas sobre o tema abordado (A MUDANÇA REPETINA, INJUSTIFICÁVEL, E EXCLUSIVA DA ESCALA DOS ENFERMEIROS CONCURSADOS). É notório por parte de alguns colegas de trabalho, até de outras áreas da saúde (Motoristas, Médicos, Técnicos de Enfermagem, Porteiros...) a insistente e continua perseguição da atual Gestão junto aos profissionais Enfermeiros concursados que atuam na Unidade Mista (Hospital da cidade). Desde o início da nossa atuação profissional (2017) no referido local de trabalho, temos passado por situações de perseguições, represálias por ocuparmos o cargo e até assédio moral. 

Nunca antes tratamos tal assunto de forma pública como agora - até mesmo por não termos a intenção de nos envolver no “ambiente politico local”- por questões de profissionalismo, todavia, devido a abrangência do ocorrido junto a população no que se refere à escala de trabalho SÓ DOS ENFERMEIROS CONCURSADOS, não nos restou outra alternativa a não ser esclarecer a verdade dos fatos. As escalas de trabalho dos demais profissionais da saúde não houve alteração, seja esses profissionais: Médicos, Técnicos de Enfermagem, Auxiliares de Enfermagem, Motoristas, Porteiros e profissionais da limpeza. FRISAMOS, nenhum desses profissionais supracitados tiveram qualquer alteração na escala de trabalho, E NEM O ÚNICO ENFERMEIRO CONTRATADO PELO MUNICÍPIO QUE FAZ PARTE DA EQUIPE, no qual temos profundo respeito e admiração pelo colega, sublinhando que o mesmo não tem culpa alguma sobre o tema aqui abordado, ESSE PROFISSIONAL ESTÁ NA ESCALA PARA TRABALHAR 12H E 24H DE TRABALHO, ou seja, SÓ OS ENFERMEIROS CONCURSADOS FORAM DESIGNADOS À TRABALHAR 6H DIÁRIAS. Diante de tais declarações supracitadas, é nítida e comprovada à diferenciação do tratamento por parte da Gestão para com os profissionais Enfermeiros concursados COMPARANDO aos demais profissionais, inclusive, entre os Enfermeiros que são concursados e os que não são. Na oportunidade, nos solidarizamos com a colega Enfermeira Marisa, uma filha da “Terra Adustinense”, que iniciou os trabalhos no mês de outubro de 2019 (foi aprovada no concurso público) e, talvez, por ter familiares envolvidos no meio politico, acabou sendo “o pivô dessa mudança repentina da escala de trabalho dos Enfermeiros”. Há suspeita que o único objetivo por parte da atual Gestão seja impedir que a Marisa continue trabalhando para ajudar a custear seus estudos no curso de Medicina na cidade de Aracaju, para quem sabe um dia ela possa voltar a sua cidade e servir ao povo Adustinense como segue o exemplo de vários outros “Médicos filhos da cidade”. 

Lamentamos termos que vir a público explicar determinadas circunstâncias profissionais, “intimas do trabalho” talvez, mas, diante dos boatos que estão surgindo e da publicação da Secretaria de Saúde sobre o tema - RESPEITOSAMENTE SOLICITAMOS DA SECRETARIA DE SAÚDE QUE SEJA EXPOSTO AO PÚBLICO UM SÓ DOCUMENTO DO COREN OBRIGANDO A CARGA HORÁRIA DOS ENFERMEIROS SER DE 6H DIÁRIAS DE TRABALHO - não nos restou outra alternativa a não ser esclarecer para a população Adustinense (que tanto nos acolhe e nos prestigia) o que de fato está acontecendo, o equivoco maldoso e desnecessário em que vivenciamos dentro do ambiente de trabalho, e que sem dúvida já está afetando a rotina dos trabalhos diários dos profissionais que atuam na Maternidade, inclusive prejudicando os pacientes devido o curto espaço de tempo para o desenvolvimento das atividades dos Enfermeiros. Nessa oportunidade, pedimos o apoio da população assim como das demais autoridades para juntos tentarmos construir uma Adustina mais evoluída, mais incentivadora dos Servidores Públicos, pois os Servidores públicos é um “patrimônio público humano do povo” Adustinense, portanto, merecem serem tratados de forma igualitária, respeitosa e valorizada, para que assim esses mesmos Servidores possam cada vez mais retribuir como forma de gratidão um melhor atendimento e serviços prestados junto a população.

Enfermeiros concursados do município de Adustina:

Lidiane Pereira do Nascimento;  Ana Paula Silva Miguel;  Lara Bethania Santos Ramos;  Antonio Leão Carneiro Junior;  Nailda Couto Ribeiro; Marisa Couto Ribeiro.

Acompanhe o Rodrygo Ferraz também pelo InstagramTwitter™ e pelo Facebook
Enfermeiros Concursados sofrem perseguição política em Adustina/BA Enfermeiros Concursados sofrem perseguição política em Adustina/BA Reviewed by Rodygo Ferraz on 11/12/2019 Rating: 5

Nenhum comentário