RodrygoFerraz.com.br
Início » , » Em depoimento, suposto namorado de adolescente nega estupro coletivo e cita presença de outra garota

Em depoimento, suposto namorado de adolescente nega estupro coletivo e cita presença de outra garota

Publicado por Rodrygo Ferraz em sexta-feira, 27 de maio de 2016

Lucas ao lado da adolescenteReprodução/Rede Record

O jogador de futebol do Boa Vista, Lucas Duarte dos Santos, 20 anos, que teria um relacionamento com a adolescente de 16 anos vítima do estupro coletivo ocorrido no Rio, no último sábado, prestou depoimento na noite desta sexta-feira (27), na Cidade da Polícia, na zona norte da cidade.

Ele alegou que o estupro coletivo é uma invenção da menina para justificar as imagens e o video publicados na internet frente aos pais, que são religiosos.

Lucas compareceu à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) ao lado de outro homem, Ray de Souza, que, diante das câmeras, acenou, sorriu e disse estar "mais famoso que a Dilma (presidente afastada)" e de uma garota não identificada. 

Segundo o advogado de Lucas, Eduardo Antunes, a versão contada pelo jogador para a Polícia é de que ele (Lucas) e Ray teriam feito sexo consentido com as meninas na noite do sábado (21) em uma casa abandonada no Morro do Barão, na Praça Seca, zona oeste do Rio, após um baile funk. 

Depois das relações, o advogado afirma que Lucas deixou a casa na companhia da outra garota. Teriam permanecido no local Ray e a adolescente de 16 anos. Nesse momento teria sido gravado por Ray o vídeo que se espalhou nas redes sociais em que a garota aparece nua e desacordada em uma cama.

De acordo com advogado, Ray teria assumido a autoria do vídeo para a Polícia e alegado que fez a filmagem para enviar a um amigo pelo Whatsapp. O advogado afirma também que Lucas não tem conhecimento do que aconteceu na casa após sua saída e que nega ser namorado da adolescente.

Versão da vítima

Antes do depoimento de Lucas, a adolescente falou novamente com o delegado Alessandro Thiers da DRCI, responsável pelas investigações. Segundo a advogada dela, Eloisa Samy Santiago, a menina disse ter acordado no domingo sem reconhecer nenhum dos estupradores, que seriam todos ligados ao tráfico de drogas. Com isso, ela isenta Lucas de participação direta. "Ela acordou e contou 33 homens com armas, nenhum deles conhecido. Eram homens do tráfico", afirmou a advogada.

A adolescente prestou depoimento na DRCI e deixou a Cidade da Polícia às 21h20, sem falar com os jornalistas.


Ativistas realizam atos contra a cultura do estupro em várias cidades do PaísKevin David/ Raw Image/ Estadão Conteúdo

Primeiramente, ela foi interrogada pela equipe da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), que acompanha o caso, em "relato livre" a um psicólogo, segundo a delegada Cristina Bento. Concluída essa primeira parte dos depoimentos, a vítima passou a responder às perguntas do delegado Thiers. Após meia hora de relato do estupro, começou a chorar e a se dizer envergonhada, o que levou a polícia a interromper o trabalho.

Ao deixar a Cidade da Polícia, a delegada Cristina Bento não soube informar se haverá acareação, em que a vítima e suspeitos do crime são postos frente a frente para confrontar suas versões dos fatos. A advogada Eloisa Samy Santiago disse também não ter sido informada se o procedimento ocorrerá.

Ela afirmou ainda não saber se continuará no caso. Disse apenas que se prontificou a ajudar no depoimento desta sexta e que a família decidirá quem representará a adolescente daqui para a frente.

R7

Acompanhe o Rodrygo Ferraz também pelo InstagramTwitter™ e pelo Facebook
Compartilhe este artigo :

Horóscopo

Siga-me no instagram

Visitantes onlines

Publicidade

As mais acessadas